Educação ambiental

A proposta do Projeto de Educação Ambiental que será desenvolvida em caráter voluntário, pretende difundir alguns conceitos como:

 

  • Não violência,

  • Respeito aos animais,

  • Consciência da importância da preservação do meio ambiente;

  • Despertar na criança e no adolescente o espírito de criticidade para posterior posicionamento frente aos acontecimentos atuais e à crise pela qual passa nossa civilização.

 

As bases para o estabelecimento das propostas acima foram adquiridas ao longo de mais de uma década de trabalho da Associação Bichos Gerais.

 

Durante este tempo, foram realizados milhares de atendimentos por médicos veterinários e voluntários em populações carentes e na clínica veterinária desta entidade, além de palestras, atividades públicas, participação em projetos de lei e parceria como Instituto Nacional do Meio Ambiente e Recursos Naturais renováveis (IBAMA) e Polícia Militar Ambiental.

 

Nesse caminhar, a Bichos Gerais teve a oportunidade de vivenciar as relações entre seres humanos e outros animais nos diversos segmentos da sociedade desde populações extremamente carentes de benefícios sociais como: água tratada, luz e rede de esgoto até grupos com melhor poder aquisitivo e posição mais avantajada no contexto sócio econômico.

 

Como já foi reconhecido por diversos outros grupos e estudiosos a Bichos Gerais pode observar o enorme distanciamento que a atual organização social humana promove entre os seres humanos e o meio ambiente no qual estão inseridos.

 

Esta separação, muitas vezes, involuntária ou inconsciente, tem levado a um posicionamento antropocêntrico cujos desdobramentos tem sido a degradação do nosso espaço físico, esgotamento dos recursos naturais, extinção das espécies e uma forma institucionalizada de violência com prejuízo direto ao ser humano.

 

Entendemos que a conscientização e o exercício da compaixão para com os animais pode colaborar para o estabelecimento de uma nova ordem dentro da nossa espécie.

 

Esse projeto pretende ser apresentado em escolas públicas e particulares a crianças de 1º e 2º grau e não têm a pretensão de se tornar uma disciplina dentro do currículo escolar já estabelecido, mas sim oferecer uma colaboração dentro do que já é realizado na área de educação ambiental.

 

Sugere-se que essas ações deverão ser inseridas no calendário escolar não prejudicando a carga horária ou sobrecarregando os professores.

 

As atividades serão em número de quatro por semestre com uma finalização ao fim de cada semestre.

Conceitos Básicos a serem trabalhados

1. A violência contra animais.

Muitas crianças e adolescentes simplesmente não sabem que têm comportamento violento pelo simples fato de não identificá-lo em seu dia a dia e crescerem presenciando a violência em todas as suas formas, principalmente as mais sutis.

2. O preconceito
(como uma forma de violência).

O preconceito passa a ser identificado em sua forma mais “pura“ quando o exemplificamos com as atitudes que temos para com animais não domésticos como gambás, porcos espinhos e urubus. A exemplificação do comportamento é o primeiro passo para a sua identificação, para em seguida se trabalhar na direção oposta.

3. Conscientização

A conscientização de que seres humanos, animais não humanos, vegetais, recursos hídricos, ar e minerais fazem parte de um todo e onde todas as partes são interdependentes e complementares.

4. Seres sencientes

A identificação dos animais não humanos como seres sencientes é parte fundamental da evolução humana para comportamento ético.

5. Educação Ambiental

A educação ambiental deve ser planejada de modo a atender as necessidades de cada comunidade, ou seja, individualizada, levando em consideração:

 

  • particularidades do local,

  • condições socioeconômicas

  • tipo de interação com o meio ambiente e os animais não humanos.

 

Isso levará a implantação de diretrizes sobre qual a abordagem mais adequada e os pontos críticos a serem discutidos com os alunos em sala de aula estabelecendo uma ordem de importância e prioridade de temas a serem trabalhados.